Mentoria pré-conjugal

casal briga.jpg

Não é raro que muitos casais encontram barreiras fortes em suas relações, que já são previamente percebidas durante o namoro ou noivado, que podem ser visões diferentes da vida, às vezes até opostas, que levam a discussões sem fim, agressões verbais e até físicas, degradação moral, situações que tiram a leveza e alegria do relacionamento, no entanto, mesmo diante de tantas evidências, muitos casais teimam em levar adiante uma relação que tem tudo para dar errado. Estes casais não levam em conta algo que é de suma importância, a compatibilidade, que nas relações que não estão dando certo,  chama-se incompatibilidade.

No mundo ninguém é igual ao outro, todos somos únicos mas também podemos aprender a lidar com as diferenças dos outros e essa convivência só é possível quando se respeita a individualidade de cada um. Isso é um princípio básico de uma boa relação, mas o que faz duas pessoas darem continuidade a um projeto fracassado? A paixão é um elemento que pode atrapalhar a visão da realidade do que está acontecendo mas há outros fatores que podem

influenciar as escolhas, como por exemplo a carência emocional, que pode levar o indivíduo a suportar e se submeter à situações estressantes. A experiência nos atendimentos clínicos nos faz ver, que muitos casamentos, senão a maioria, são baseados em compensações afetivas. Quem tem carência afetiva, projeta no outro toda a expectativa de completude e satisfação de vida, que dificilmente vai ocorrer, uma vez que a origem da carência foi no passado, geralmente com os pais ou correspondentes.

É evidente que nossas figuras parentais se tornaram modelos para influenciar nosso comportamento, bem como nossas escolhas de relacionamentos, no entanto, uma vez que estejamos conscientes do que foi bom nestes modelos e do que foi ruim na relação conosco, podemos evitar que os detalhes desagradáveis venham a repetir em nossos relacionamentos, mas nem sempre acontece conscientemente, a maioria das vezes buscamos repetir o modelo de relação da infância, que é uma forma inconsciente de tentar reeditar e corrigir os erros que cometeram com a criança. Evidentemente que isso não resolve muita coisa uma vez que tudo ocorreu no passado.

Esta breve explanação é para explicar porque muitos relacionamentos não dão certo, ou melhor dizendo, porque a comunicação entre os cônjuges não ocorre de forma tranquila como esperado e velhas estórias se repetem. Muitos chamam de isso de "dedo podre", mas na verdade foi uma escolha certa do ponto de vista inconsciente, pois como dito acima, o intuito é tentar resolver conflitos passados.

A mentoria de pré-conjugal é um velho sonho meu de dar oportunidade aos casais de se conscientizarem que o motivo do casamento não é necessariamente por amor de casal, o que confirmei depois de atender muitos casais em meu consultório ou on-line, que estavam em crise e às vezes até em guerra e pior, envolvendo filhos.

Eu sei que é difícil para algumas pessoas mexer com isso, já que estão tão certos que encontraram o "amor das suas vidas" e depois de alguns meses ou anos se arrependem pelo investimento emocional, mas se pudéssemos evitar isso? 

MENTORIA PRÉ-CONJUGAL

A mentoria tem como foco ajudar a alcançar objetivos. É muito utilizada no mundo dos negócios, mas o casamento também é uma sociedade, tem até contrato assinado. O mentor é um profissional com mais experiência e especialização, que pode ajudar aos mais inexperientes. Trabalho com psicologia há 35 anos e já atendi vários casais que chegam ao consultório com seus casamentos já em frangalhos, com brigas homéricas, filhos abalados. Nestas sessões é possível ver que havia como ser evitado uma união fracassada. Mas também faço atendimentos particulares, de clientes extremamente infelizes com seus casamentos.

A  proposta é fazer algumas sessões com os casais e talvez algumas com cada parte e fazer uma avaliação da relação, motivos que os levaram a se tornar namorados ou noivos, fazendo uma devolução sincera sobre as possibilidades de que este casamento vai dar certo ou não.

Querendo me conhecer melhor acesse o histórico de minha vida profissional clicando em Quem Somos.

José Carlos Bastos

Psicólogo Clínico CRP 05/11513

Terapeuta Reichiano

Terapeuta de Barras de Access